Roberto Rodrigues de Menezes.

Roberto Rodrigues de Menezes



quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tenente Coronel João Elói Mendes

Da Série Biografias XII.
***************************
O Tenente Coronel João Elói Mendes dá seu honrado nome À Associação dos Oficiais da Reserva e Reformados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar em Santa Catarina. Na foto, datada de 1935, quando do centenário da Força Pública, ele era primeiro tenente pagador (tesoureiro). Nasceu em Biguaçu, município da região da grande Florianópolis, em 14 de Agosto de 1904. Fez o curso de Sargentos de Infantaria do Exército Brasileiro. Ingressou na antiga Força Pública (hoje Polícia Militar) como segundo tenente, por concurso, em 1931.
Participou do Batalhão da Força Pública durante a revolução constitucionalista de 1932, obtendo várias citações elogiosas por desempenho em combate. Foi promovido a primeiro tenente em 1935, a capitão em 1938, a major em 1943 e a tenente coronel em 1949. Foi delegado de polícia de vários municípios e delegado adjunto da Ordem Política e Social na capital. Exerceu o cargo de prefeito municipal em Chapecó em 1939 e em Biguaçu em 1946.
Como sub-comandante da Polícia Militar catarinense exerceu interinamente o Comando Geral, de 05 de agosto de 1950 a 10 de fevereiro de 1951.
(Dados do acervo do coronel Edmundo José de Bastos Junior).
*************************
Na foto os irmãos: Arnaldo, Jaime, Vidal, João Elói Mendes (o mais velho), José, Lauro e Aldo. Além desses (são nove os irmãos de João Elói) as irmãs Isaura, Lourdes e uma outra que não se conseguiu levantar o nome.*************************
Foto da família Mendes em Abril de 1935.
Em pé, da esquerda para a direita: o irmão Lauro, atrás da esposa Clarice, sentada. O irmão José, atrás da esposa Maria, sentada com um bebê no colo. O cunhado Araraí com um filho de roupa preta no colo e esposa Isaura sentada, irmã de Elói (de vestido branco e blusa preta). Rubens Albino, cunhado, marido da irmã Lourdes, ela em pé entre ele e o mano Elói. Os pais, dona Maria e Leovegildo Machado Mendes, no centro, sentados. À direita de dona Maria outra irmã de Elói, sentada, solteira. O segundo tenente João Elói Mendes e sentada à frente a esposa Geneta Dutra Mendes, com a filha Arleta no colo. O irmão Aldo com o filho no colo e a esposa Almeri sentada ao lado de Geneta e com dois filhos no colo.O irmão Jaime e sentada á frente a esposa Zilá. O irmão Arnaldo e sentada á frente a esposa Edite. As duas últimas mocinhas em pé à direita são da família, mas não foi identificado o seu parentesco. Provavelmente sobrinhas do tenente Elói. Sobram sentados quatro sobrinhos dele. Faltou o irmão Vidal.*************************
Outros dados sobre a família: Alceu Dutra Mendes, filho mais novo de João Elói e de dona Geneta Dutra Mendes, nasceu em Florianópolis em 26 de março de 1942. Em 1951 Alceu foi morar em Niterói e em 1959 foi ao Rio de Janeiro para estudar Medicina. Reside no Rio há pouco mais de 40 anos. Casou com Tânia Pereira Mendes (médica) e moram nas Laranjeiras. Têm duas filhas: Cristina, médica em Macaé e Carolina, médica no Rio de Janeiro.
A outra filha Arleta, a mais velha, nascida em Florianópolis em 24 de novembro de 1934, teve destino trágico. Ela, o marido Carlos Gasparino da Silva e mais três filhos morreram num acidente automobilístico na BR-101 na véspera de Natal de 1972. Ela contava com 38 anos. Morreram na hora ela, o marido, um filhinho que estava no colo dela e outro filho pequeno. Um terceiro ainda resistiu uma semana, mas faleceu na véspera do ano novo de 1973. Foi uma tragédia que emocionou e entristeceu toda a comunidade florianopolitana. Salvou-se um filho, Henrique Mendes da Silva, que hoje mora em Florianópolis. Ele perdeu pai, mãe e três irmãos.
O Tenente coronel João Elói Mendes, morador do bairro de Coqueiros, era expoente da Maçonaria. Ele faleceu em novembro de 1979 na capital, acometido de câncer na bexiga, de acordo com o filho médico, que ainda dele tratou. A esposa dona Geneta Dutra Mendes faleceu em Florianópolis em 17 de maio de 1988. Contava com pouco mais de oitenta anos e teve morte súbita.
João Elói e Geneta eram pessoas muito generosas. Lembra o filho Alceu que sempre havia sobrinhos morando com eles.
****************************************
Agradeço ao Coronel Edmundo José de Bastos Junior pela cessão dos dados iniciais, já postados neste blog. Os dados seguintes são inéditos. Meu profundo agradecimento à Senhora Nelcy Coutinho Mendes, proprietária da Editora Papa-Livro, cujo marido já falecido era primo do coronel Elói. Foi ela quem muito gentilmente me cedeu as duas fotos da família com os dados sobre pais, esposa, filhos, irmãos, cunhados e sobrinhos do tenente Coronel João Elói Mendes. Minha gratidão também ao senhor Alceu Dutra Mendes, que com muita cortesia respondeu aos meus e-mails e telefonemas, cedendo-me informações importantes.
Este quadro é o Homem do Cachimbo de Picasso. Perdoem-me a heresia, mas não vejo graça nenhuma nessa tela. Se Picasso via as pessoas assim, como dizem os entendidos, parecia meio míope.
****************************************


Um comentário:

  1. Eu amei ter descoberto o teu site. Pois eu adoro saber tudo da história. Que site maravilhoso o seu resgatando a história das pessoas que trabalharam criando a infra-estrutura que tornou possível o que temos hoje em nossa sociedade. Eu idolatro esta geração que teve um desejo e tornou ele realidade, e nossa geração após nos beneficiamos com isto que eles nos legaram. Eu amo meu pedaço de terra, Florianópolis e também sou encantada por todo o entorno hoje indo para uma megalópole, de um povo educado, pronto a levantar a mão para ajudar, os primeiros estes homens valorosos destemidos em seu trabalho para manter a ordem a disciplina e a justiça.

    ResponderExcluir